A cidade e seu Messias

Vou te falar de quem a tudo se conforma, da insanidade do espaço vazio, do silêncio quisto ou forçado, de uma maioria que goza pela burocracia, pela indiferença, pela violência. Vou te falar do estéril, estático, apolítico, antidemocrático.

Se ocupem, vagabundos maconheiros! Pois o espaço público é privado, restrito, demarcado. Voltem aos bancos escolares e estudem, seus maconheiros filhinhos de papai!

MESSIAS PARA PRESIDENTE!

Meu Messias PM, meu Messias BOPE, meu Messias ROTA, meu Messias que coloca a ordem em seu devido lugar.

Vou te falar… hoje já não tenho tantos amigos… porque eu ocupo o espaço e o faço explodir.

Mas se ontem havia divergências, hoje a pauta é comum:
O ESPAÇO É NOSSO. A UNIVERSIDADE É PARA TODOS. NÓS TEMOS VOZ.

MESSIAS PARA PRESIDENTE!

Seu Messias PM, seu Messias BOPE, seu Messias ROTA, seu Messias que ordena a cidade.

Ei, você, Messias PM… seu nome talvez seja João ou Alfredo ou Vicente…. o que você sente quando dá borrachada em estudante que dormia no chão de uma reitoria? Essa reitoria de uma universidade que também é sua? João ou Alfredo ou Vicente… o que você sente quando dá borrachada em sem-teto que quer morar na região central de SP ao invés de ser expulso da cidade? …. Doce João ou Alfredo ou Vicente… quem é você na quebrada?

Ah, querido Marcos ou Carlos ou Guilherme… você, com seu carro, seu filho da USP… você, trainee bem remunerado, treinado em cursinhos como um soldado em defesa da desigualdade… você com seu energético com whisky…. você que mata, paga fiança e vai passar férias nas Bahamas… você, você, você… tudo é seu… e que esses vagabundos estudantes, professores, sem-teto, sem terra, pretos, bolivianos e bichas se coloquem no seu devido lugar… LONGE DA CIDADE!

MESSIAS PARA PRESIDENTE!

Messias PM, do BOPE, da ROTA…. aquele que dá borrachada em vagabundo maconheiro que teima em querer ter voz política.

Ah, SP madame, querida SP vazia, SP fascista… Messias para presidente?

Um poeta disse que não existe amor em SP… e se não existe amor em SP, se o amor acabou… pois é, pode esperar João, Guilherme, Alfredo, Carlos, Vicente… há pessoas nesta cidade que ocupam os espaços – físicos, políticos, simbólicos – e que vão fazer ISSO AQUI VIRAR O CHILE!

Raquel Foresti