Informe poético do evento #existediálogoemsp

Sobre o encontro do secretário municipal de cultura de SP, Juca Ferreira, e sua equipe, com artistas, produtores e interessados em geral para um papo sobre a políticas de cultura da cidade no dia 05/02/2013.

 

Não coube em dois auditórios, não coube em três horas.

Às 19 horas começou o encontro aberto à população, com representantes da nova Secretaria de Cultura de São Paulo. O Secretário, Juca, queria dizer algumas coisas bonitas sobre o futuro, e ele disse e calou pra dar voz aos muitos presentes.

As falas não se repetiam, eram demandas de bairros, etárias, de etnias, de linguagens.

Tinha Sapopemba, Bexiga, Morro do Querosene, Itaquera. (Tinha Jardins também, mas eles não se chamam assim.) Tinha periferia e tinha “favela mesmo, que não é periferia não”. Tinha aldeia e tinha Sem Teto.

Tinha Movimento Negro e movimento branco que diz que é negro demais no coração. Guarani de Parelheiros que entrega um presente feito na aldeia, um filme.

Tinha músico de orquestra, músico de rua, cantor de encontro com o Secretário.

Teatro do centro, da periferia, poesia.

Tinha Movimento Hip Hop, Movimento Feminista. Tinha luta de classes.

Tinha contracultura, tinha o do “contra a cultura, porque é circo”. Tinha gente do circo.

Tinha skate, cinema, artesãos.

Acho que só a bailarina que não tinha.

Divergiam e convergiam, “não há nada na periferia, você precisa ir lá pra ver”, “tá tudo lá na periferia, você precisa ir lá pra ver”.

Todos muito contentes e todos muito putos.

Teve palma e teve vaia. Todos juntos e divididos. Contrafavor do Estado.

E, acima de tudo, todos tinham uma resposta… e todos queriam uma resposta.

Que venha a democracia.

Luana Soncini

sobre nossa vizinha: historiadora, estuda políticas culturais de patrimônio imaterial na América Latina, e espera vê-las acontecendo em São Paulo

Anúncios

4 comentários sobre “Informe poético do evento #existediálogoemsp

  1. Deborah Neves

    Lamentavelmente eu não fui no evento, mas seu texto, Lu, sintetizou aquilo que achei que ia realmente acontecer. A cidade estava tão carente de ser ouvida que qualquer movimento do estado em permitir que as pessoas se manifeste, já vira um enorme sucesso. Só isso já demonstra a diferença de visão sobre o papel da cidade e do cidadão na construção de uma sociedade melhor! E que venham mais mudanças substanciais!!!

    1. Luana Soncni

      Ah, é isso mesmo Deca! em algum momento deram uma definição muito boa no próprio evento: “nós estávamos sufocados”. Segundo os organizadores, esse é o primeiro de uma prática que pretendem instituir, então não faltarão oportunidades pra você aparecer! Assim esperamos!

  2. Dayane

    Texto tão sucinto e tão poético quanto fazer e militar por políticas artísticas ou simplesmente, mesmo não sendo tão simples assim, pela arte nossa de cada dia, mesmo nem sempre sendo só poesia.
    Eu me vi lá!
    Eu adorei o texto, que me ganhou em: “Acho que só a bailarina que não tinha.”
    😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s